Rinite Canina

Cachorro com rinite? Sim, eles têm. Saiba os cuidados

Sim, os cães também sofrem de rinite. Nessa época do ano, o sobe-desce de temperatura também têm seus reflexos  sobre a mucosa nasal dos animais fazendo os cães espirrarem (e muito!) em diferentes momentos do dia, sendo mais frequente na hora do passeio em função do contato com o agente que causa a irritação. Para quem “foge” com o pet em um final de semana para a praia ou serra pode se assustar com o repentino desconforto do cão. Alguns mostram esse incômodo por meio de espirros reversos, aquele em que temos a impressão de que ele  está “puxando” o ar para dentro das narinas, o que o faz com muita força, um quadro grotesco que pode dar a ideia de que o mascote está tendo um ataque de asma.

A rinite é uma inflamação da mucosa das narinas que pode ser provocada por agentes irritantes a ela, e isso vale para pólen e produtos de limpeza, mas também por agentes patogênicos como vírus e bactérias, não raro sendo o primeiro a porta de entrada do segundo.

Os gatilhos que levam cachorros a desenvolver rinite podem ser muitos e você precisa ser capaz de identificá-los, para que o tratamento seja eficaz.

 

A rinite canina pode ser:

Aguda: início súbito e curta duração;
Crônica: início lento e duração muito maior.

Rinite canina não é uma doença infecciosa ou contagiosa, mas, infelizmente, é muito comum.

As causas da rinite canina:

  1. Vírus ou bactérias;
  2. Parasitas ou fungos;
  3. Traumas na face;
  4. Corpos estranhos que não consigam ser expelidos;
  5. Alergias ou irritações;
  6. Doenças auto-imunes;
  7. Doenças dentárias;
  8. Pólipos ou fístulas;
  9. Câncer.

Os sintomas da rinite canina:

  1. Espirro com perda de muco do nariz ou, nos casos mais graves, sangue;
  2. Perda de apetite;
  3. Olhos lacrimejantes;
  4. Úlceras ou manchas ao redor das narinas;
  5. Rosto deformado;
  6. Halitose.

O diagnóstico da rinite canina será dado após fazer vários exames:

  1. Exame de sangue completo e análise de urina;
  2. Sorologia para fungos;
  3. Investigações sobre a coagulação do sangue;
  4. Rinoscopia e rinotomias (exploração cirúrgica);
  5. Citologia e biópsia;
  6. Ressonância magnética e exame de raio-X;
  7. Cultura das cavidades nasais.

O tratamento da rinite canina, irá variar de acordo com o problema de cada cachorro.

  1. A remoção da causa subjacente, se encontrado;
  2. Antibióticos e anti-inflamatórios;
  3. Pesticidas e antifúngico;
  4. Umidificação de ambientes;
  5. Cirurgia, se necessário.

Rinite canina – O que fazer?

Você deve levar seu cachorro periodicamente ao veterinário. Aparecendo algum destes sintomas, siga as orientações de um veterinário de sua confiança, o diagnóstico precoce da rinite canina, como de qualquer doença em seu cachorro pode fazer uma grande diferença no resultado positivo do tratamento.

 

FONTE: Blog do Cachorro; Revista Dona.